Salmão ou truta?

Postado por André Taketa em 05/jul/2013 - Sem Comentários

Compare o salmão com a truta salmão

Na peixaria ou no cardápio do restaurante japonês, a truta salmão, também conhecida por truta salmonada, é uma espécie cada vez mais frequente. Muitas vezes, a dúvida que fica é: afinal, é truta ou é salmão? É truta, mas ela recebe esse nome por causa da cor rosada, típica do salmão. A diferença é que o salmão adquire essa coloração de forma natural porque consome pequenos animais marinhos, especialmente crustáceos e moluscos, com alta concentração de carotenoides, substância que também confere a cor vermelha, laranja ou amarela a vegetais, como o tomate e a cenoura.

“Para atingir a mesma coloração, a truta, que originalmente tem a carne branca, passa pelo processo da salmonização, que acrescenta pigmento à base de lecitina de soja a sua ração, cerca de 60 dias antes do abate”, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, da PB Consultoria, de São Paulo.

Combinado Jyo

A truta salmonada apresenta uma coloração mais intensa que a do salmão, e um aroma e sabor mais suaves. Mas as semelhanças dessa dupla não se restringem à tonalidade da carne. Além de serem excelente fonte de proteína, os dois peixes carregam nutrientes importantes, que trazem igual benefício para a saúde e fazem a diferença na alimentação saudável do dia a dia. A seguir, comparamos 100 gramas das duas espécies para você descobrir tudo que os dois têm de bom. Faça a sua escolha.

Ômega 3

O salmão e a truta salmão são ricos nesta gordura poli-insaturada, porém o salmão apresenta uma quantidade um pouco maior de ômega 3. “Quem consome este ácido graxo protege o coração de doenças cardiovasculares, pois essa gordura do bem reduz as taxas de colesterol ruim (LDL) e eleva o colesterol bom (HDL) do sangue, além de dissolver as placas de gordura que obstruem as artérias”, explica a nutricionista do Dieta e Saúde, Roberta Stella. Também tem ação anti-inflamatória, fortalece o sistema imunológico e protege o cérebro contra doenças degenerativas, como o Mal de Alzheimer.

Vitamina A

A truta salmão oferece mais deste nutriente – são 57 UI, enquanto o salmão tem 40 UI. Entre as principais funções desta vitamina no organismo, estão a ação protetora dos olhos, da pele, mucosas e da capacidade funcional dos órgãos de reprodução. O nutriente também tem papel de defesa contra as infecções.

Além disso, estudos recentes realizados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro apontam a relação da vitamina A com a leptina, o chamado hormônio da saciedade. Segundo as pesquisas, a falta da vitamina A diminui a produção de leptina, causando os perigosos ataques de gula. E tem mais. Quando os níveis de vitamina A estão abaixo da necessidade do organismo, as células de gordura (adipócitos) se multiplicam com maior facilidade, e pior, também aumentam de tamanho, provocando aumento de gordura localizada no corpo.

Selênio

Combinado Truta e Salmão

O salmão contém 36,5 mcg de selênio, um antioxidante que previne o envelhecimento celular, afastando os risco de tumores. A truta salmão, por sua vez, fornece 12,6 mcg. Esta substância também ajuda a manter a elasticidade dos tecidos do organismo. A pele e os cabelos ficam renovados.

Cálcio

A truta salmão oferece boa quantidade de cálcio. São 43 miligramas contra 12 miligramas de salmão. O mineral mantém dentes e ossos fortes, combatendo o raquitismo e a osteoporose. Além disso, o nutriente mantém os batimentos do coração regulares e ajuda o sistema nervoso a trabalhar melhor.

Potássio

Sem o potássio, nosso corpo encontra dificuldades para absorver os nutrientes dos alimentos e de segurar a vitamina B6 que, quando deficiente, diminui a capacidade dos rins em despachar o sódio para a excreção. Além disso, ele é um grande amigo dos esportistas de plantão e dos aventureiros, que querem escapar das cãibras.

Pesquisas recentes comprovam que ingerir alimentos ricos em potássio pode reduzir o risco de ter um acidente vascular cerebral (AVC) e uma doença arterial coronariana (aterosclerose), de acordo com pesquisadores italianos, baseados na análise de dez estudos publicados entre 1966 e 2009, que avaliaram cerca de 280 mil adultos.

Fósforo

A truta salmão oferece doses maiores de fósforo. São 245 mg, enquanto o salmão tem 200 mg. Este mineral é necessário para uma boa formação óssea e dentária e é essencial para o funcionamento dos rins. Também fornece mais energia ao corpo, auxiliando no metabolismo de gorduras e amidos.

Magnésio

Nutrientes Salmão (100 g) Truta Salmonada (100 g)
Calorias 142 kcal 148 kcal
Proteínas 19,84 g 20,77 g
Carboidratos 0 g 0 g
Lipídios totais 6,34 g 6,61 g
Vitamina A 40 UI 57 UI
Selênio 36,5 mcg 12,6 mcg
Potássio 490 mg 361 mg
Fósforo 200 mg 245 mg
Cálcio 12 mg 43 mg
Magnésio 29 mg 22 mg

O salmão tem um pouco mais deste nutriente conhecido como o mineral anti-estresse. São 29 mg, contra 22 mg da truta salmão. A deficiência deste mineral resulta em fadiga e carência de enzimas envolvidas na produção de energia. “O magnésio também é indispensável para o bom funcionamento dos nervos e músculos. Além de evitar a formação de pedra nos rins e na vesícula”, explica Patrícia Bertolucci.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/12301-compare-o-salmao-com-a-truta-salmao

Deixe uma resposta